Uma das datas mais importantes do calendário cristão é a Sexta Feira Santa, também conhecida como Sexta Feira da Paixão, data em que se relembra o episódio bíblico da crucificação de Jesus Cristo e sua consequente morte.

Dentre as diversas datas guardadas pelos religiosos cristão, esta é sem dúvida uma das mais importantes e significativas no Mundo.

A data é móvel, ou seja, não coincide todos os anos no mesmo dia, e tem como base a Primeira Sexta-feira de Lua cheia depois do Equinócio de Primavera, no Hemisfério Norte e do Equinócio de Outono, isso no Hemisfério Sul – O equinócio é um evento astronômico, onde as duas metades do planeta estão igualmente iluminadas, logo, o dia e a noite tem exatamente a mesma duração.

As origens da Sexta Feira da Paixão

A data sempre foi marcada por celebrações, mas somente no ano de 325 é que a Igreja Católica Apostólica Romana definiu os ritos e sacramentou a Calendário Cristão ao longo do ano, durante o Concílio de Niceia.

A partir daí a data ficou marcada como uma das principais celebrações para os cristãos, e é observada também por outras denominações religiosas, embora com algumas diferenças.

Nos países católicos, a Semana Santa, que vai do Domingo de Ramos até o Domingo de Páscoa, é a principal semana litúrgica dos cristãos, onde se revive todo o processo de captura, prisão, condenação, crucificação e morte de Jesus Cristo.

Sacrifícios e Significado

Todo o período da Semana Santa é marcado por homenagens e orações, que demonstram a gratidão e a devoção dos cristãos pelo sofrimento de Jesus, que segundo a Bíblia, morreu para libertar toda a humanidade dos seus pecados.


Portanto, para marcar a data, são comuns as penitências e os sacrifícios, como o jejum e o afastamento de outros prazeres mundanos.

Porque Não Pode Comer Carne

Ao longo do tempo, a tradição de não comer carne durante toda a quaresma, período de quarenta dias que vai da “Quarta Feira de Cinzas” até a “Sexta Feira Santa” foi sendo abrandada, embora ainda seja respeitada por setores mais devotos e tradicionais da comunidade cristã.

Sua exigência de não comer carne hoje, estar mais branda com o passar das décadas, a Sexta Feira Santa ainda é guardada, com jejuns parciais e com a restrição do uso da carne vermelha nos pratos consumidos, como forma de sacrifício e de agradecimento pela dor e sofrimento aos quais Jesus Cristo foi submetido.

São realizadas vigílias e diversas outras cerimônias ao longo da Semana Santa, e quanto mais se aproxima da Sexta Feira Maior, os rituais e as orações são intensificados.

A Sexta Feira Santa é o único dia do ano em que não se celebra a Eucaristia, exceto por ordem expressa do Papa, chefe da Igreja Católica.

A eucaristia é o rito de comunhão do pão e do vinho, que simbolizam o corpo e o sangue de cristo, um dos principais ritos dos cristãos.

Encenações da Paixão de Cristo

Em muitas comunidades, não só no Brasil, mas em todos os países predominantemente católicos, é comum que os fiéis façam representações teatrais sobre a Paixão de Cristo, ou seja, todas as etapas, desde sua prisão até sua morte e ressurreição.

Essas representações em geral são feitas por membros da própria comunidade e apresentadas na Sexta Santa, como parte das homenagens relativas à essa data tão significativa para os cristãos.

Muitas dessas representações são bem conhecidas e atraem pessoas de outras comunidades e até mesmo de outras cidades, e tem a intensão de relembrar toda a via crucies que foi imposta à Jesus Cristo, revivendo assim seu martírio e reavivando a fé católica e os dogmas que mantém a Igreja.

A Influência no Cotidiano

Poucas datas comemorativas ao longo do ano causam tanta comoção e afetam tão diretamente o dia a dia das pessoas, principalmente nos países cristãos.

Por se tratar de uma estória bíblica trágica e até certo ponto cruel, é comum encontrar as pessoas mais reservadas e silenciosas durante a Sexta Feira Santa.

É comum encontrar as famílias reunidas, recolhidas em oração e em vigília, e são preparados pratos à base de peixe, como demonstração de obediência e respeito à data.

Grande parte do comércio das cidades se mantém fechado e embora haja algumas exceções, a data é marcada pelo silêncio e pelo respeito, sem que bares, casas de show ou outros estabelecimentos dedicados ao entretenimento estejam abertos nessa data.

Data Mais Significativa das Datas Cristãs

A Sexta Feira Santa é o ápice de uma celebração cristã que dura quarenta dias, e que marca um dos momentos mais marcantes para os praticantes da fé católica, já que por considerarem Jesus Cristo o filho de Deus, seu suplício e sua morte são realmente o fato histórico mais importante da história do Cristianismo.

Ao entregar sua vida em nome dos pecados de toda a Humanidade, Jesus Cristo atinge o patamar de Salvador, e todas as crenças envolvendo Jesus, narradas nos evangélicos, são a base de todos os dogmas e normas de conduta seguidas pelos cristãos. Relembrar essa passagem bíblica é fundamental para a fé católica.

A Importância da Data

Tamanha importância e respeito, aliados ao fato de existirem diversos ritos e homenagens ligados à Sexta Feira Santa, são um grande evento para que as atividades manuais e artesanais tenham espaço e importância nessa data comemorativa.

Respeitados os preceitos católicos e a estória bíblica, são muitos os meios de participação efetiva nos rituais, sejam eles dentro das igrejas ou em outros ambientes.

Toda a elaboração e construção de cenários e adereços nas representações, por exemplo, as vigílias e outros ritos são um importante contexto para a utilização de produtos artesanais, que se inspiram nas tradições e nos dogmas religiosos, que ao longo desse período, estão bastante aflorados e presentes em todos os cristãos, de todas as regiões do país.

A Sexta Feira Santa é uma das datas mais importantes do calendário anual, e essa importância extrapola as denominações religiosas, unindo as pessoas em torno de uma figura que inspira o amor, a fraternidade e o senso de comunidade, tão necessários nos dias de hoje.

Gostou? Foi Útil? Compartilhe!


Veja Mais Artesanatos Agora: